CIRURGIA PARA EPILEPSIA NA INFÂNCIA Avaliação neuropsicológica e de qualidade de vida

Abstract

RESUMO Objetivo: Avaliar e descrever os efeitos advindos da cirurgia para epilepsia quanto aos aspectos neuropsicológicos e de qualidade de vida e relacionar os resultados ao quadro clínico do paciente. Método: Foram avaliadas nove crianças com epilepsia refratária antes e seis meses após a cirurgia através de uma ampla bateria de instrumentos neuropsicológicos e questionário de qualidade de vida. As etiologias e os procedimentos cirúrgicos foram variados. Resultados: Mudanças significativas no QI, no geral, não ocorreram; duas crianças cuja etiologia da epilepsia de lobo temporal era lesão neoplásica tiveram importante piora comportamental na avaliação pós-cirúrgica apesar do controle de crises; o sujeito que obteve maiores ganhos nas avaliações foi aquele que apresentou o quadro pré-cirúrgico mais grave e foi submetido à hemisferectomia esquerda devido à síndrome de Rasmussen. Houve melhora dos aspectos sociais, ambientais, efeitos de medicação, percepção de controle de crises e do nível geral de qualidade de vida do grupo, havendo correlação positiva entre o controle de crises epilépticas e a percepção dos pais quanto à melhora da qualidade de vida. Conclusão: A melhora da qualidade de vida detectada na avaliação pós-cirúrgica correlacionou-se com o controle de crises; diferentemente, as repercussões neuropsicológicas dependeram de vários fatores como tipo de epilepsia, etiologia e tipo de cirurgia.

Cite this paper

@inproceedings{Guimares2003CIRURGIAPE, title={CIRURGIA PARA EPILEPSIA NA INFÂNCIA Avaliação neuropsicológica e de qualidade de vida}, author={Catarina Abra{\~a}o Guimar{\~a}es and Elisabete A.P. Souza and Maria Augusta Santos Montenegro and Fernando Cendes and Marilisa Mantovani Guerreiro}, year={2003} }